sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

INGRID PITT



















Nascida Ingoushka Petrov, na Polônia, no dia 21 de Novembro de 1937, Ingrid Pitt é uma atriz, conhecida por seus filmes de terror dos anos 60 e 70.
Filha de pai alemão e mãe judia, durante a Segunda Guerra Mundial ela e sua família foram presos num campo de concentração. Ela sobreviveu e em Berlim nos anos 50, conheceu e se casou com um soldado americano e acabou indo morar na California. Depois que seu casamento fracassou, ela voltou para Europa mas depois de fazer um pequeno filme, ela voltou para Hollywood onde trabalhou como garçonete enquanto tentava fazer sua carreira em filmes. A cor natural dos seus cabelos é castanho, mas ela acabou adotando o loiro.
Em 1965 ela estreou em "Doctor Zhivago" e em 1968 "The Omegans" e "Where Eagles Dare".
Foi seu trabalho na Hammer Film que elevaram-na ao status de atriz "cult". Ela estrelou "The Vampire Lovers", e "Countess Dracula". Também teve uma pequena participação em "The Wicker Man" (1973), aparecendo nua numa banheira.
Durante os anos 80, Pitt retornou a papéis mais importantes e também fez TV, mas sua popularidade com os filmes de terror era tanta que ela era sempre convidada para festivais e convenções de filmes do gênero.
Pitt fundou sua própria companhia de teatro e estrelou produções de sucesso como "Dial M for Murder", "Duty Free" e "Woman of Straw".
Ela também apareceu em diversos shows de TV no Reino Unido e EUA.
Pitt retornou às telonas numa produção do ano 2000 "The Asylum". Neste filme ela trabalhou ao lado da filha Steffanie Pitt and was directed by John Stewart.
Em 2003, Pitt dublou um personagem em 'Lady Violator', o primeiro filme de animação inglês.
Depois de ter ficado um período doente, Pitt retornou à cena em 2006 para o tributo "Hammer Films-Mario Bava".
O primeiro livro de Pitt, foi uma novela, "Cuckoo Run". Foi em 1984, quando ela morou na Argentina, antes de se estabelecer na Inglaterra. "Argentina era um país fronteira selvagem dominado por uma ditadura militar naquela época, por isso modifiquei meus modos."
Em 1984, Pitt e seu marido Tony Rudlin participaram do roteiro de "Doctor Who". A história, foi uma das idéias inventadas pelo casal, depois de aparecer na 22ª temporada de "Warriors of the Deep".
Em 1999, sua autobiografia, "Life's a Scream" foi publicada. Nela, Pitt detalhou as terríveis experiências que viveu num campo de concentração nazista, sua busca pelo pai nos campos de refugiados, e sua fuga de Berlim.
"The Bedside Companion for Ghosthunters" é o décimo livro de Pitt. Antes dele, ela escreveu "Bedside Companion for Vampire Lovers", "The Ingrid Pitt Book Of Murder", "Torture And Depravity" foram publicados em 2000.
Ela também escreve regularmente numa coluna política, nos eu website oficial, como também numa coluna semanal do website "Den of Geek".
Pitt ainda participa de convenções e festivais de filmes no Reino Unido, EUA e Europa.
Pitt tem paixão por aeronaves da Segunda Guerra Mundial, tanto que foi convidada pelo museu de Duxford a fazer um vôo em Lancaster. Ela tem carteira de piloto e é faixa preta em caratê!!

2 comentários:

Roderick Verden disse...

Excelente texto, Gene, de uma das mulheres mais charmosas do mundo, Ingrid Pitt!

GallegaBiker disse...

Olá boas tardes dende Galicia.

Queria saber que pasou con ista grande actriz, non atopo nada novo que fale dela.

¿Onde poderia conseguir os seus romances? Ando busca en busca por Internet e non atopo nada